Quando eu quis ser mãe

Quando eu quis ser mãe

Acho que a maioria das meninas durante a infância se imaginam mães, brincam com suas bonecas como se fossem suas filhinhas! E comigo não era diferente. Eu brincava, dava banho, penteava, dava comidinha, como se um filho fosse somente um passatempo e uma diversão. E na época era! Adorava esperar o natal pra receber bonecas de presente do “Papai Noel” (sim, eu acreditei nele por muito tempo). Normalmente nesta época do ano sempre vinham as maiores bonecas! Ah, que alegria era, ter a casa cheia de “filhas”, e nenhum filho, acho que os meninos deveria ser bem sem graça, porque só queríamos “filhas”.

Acho que este foi o meu primeiro contato com o instinto materno! Logo veio a adolescência e filho pra quê né? Eu tinha uma vida muito boa e badalada pra querer saber de filhos. Aí veio a maturidade, ou pelo menos eu achava que era. E o desejo de ser mãe voltou! Comecei a pensar em ter filhos, mas a minha condição financeira era zero e a emocional já estava abaixo da linha da pobreza! Mas eu me programava mentalmente. E coloquei alguns pontos importantes pra mim antes de ser mãe: terminar a faculdade, ter um emprego estável, uma moradia, um carro e um bom marido! E assim eu fiz! Terminei a faculdade, consegui um bom emprego, uma moradia, mas eu não tinha um marido! E com 26 anos eu ainda tinha esperança de achar um bom homem que poderia ser um bom marido pra mim.

Pois bem, eu achava que isto estava resolvido e bem resolvido pra mim, mas muitas vezes me peguei pensando no porque eu queria ter um filho. E hoje eu vejo que naquela época eu queria uma coisa certa, mas pelos motivos errados. Eu queria um filho pra não me sentir sozinha, pra me sentir amada, pra poder dar todo o amor que eu tinha guardado dentro do meu coração. E eu achei que isso me faria feliz.

E se você que está lendo isso hoje, se identifica com isso, simplesmente pare! Pare enquanto é tempo, um filho pode te trazer alegria, mas se você não buscar a sua alegria interior, nem um filho e nem nada no mundo vai te satisfazer, vai te fazer feliz! Só você pode fazer algo pela sua felicidade!

Leia o próximo post para saber mais sobre a minha decisão de querer /não querer/e querer um filho! Quando eu não quis ser mãe

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *