Os palpites antes da maternidade

 

Acho que toda gestante ou mãe surta com os inúmeros palpites e pitacos que as pessoas insistem em dar durante a gestação, parto, pós parto, amamentação, alimentação, educação e criação dos filhos.

Depois que comecei a estudar sobre a maternidade, sim, é um estudo quase que diário, comecei a me policiar em relação aos comentários que por ventura eu poderia fazer para uma gestante ou para uma mãe. Li tantos relatos de mães que ouvem cada absurdo, e que muita das vezes elas não respondem, não cortam, simplesmente escutam aqueles palpites, por medo, por respeito, por diversos fatores escolhem ficar caladas.

Desabafos de uma mãe – Quando descobri que estava grávida

As vezes fazemos algum comentário, que normalmente é na intenção de ajudar, mas pode ser que não ajude. Então agora tento falar só se me perguntarem, quando sei de algo que pode ajudar, sugiro que pesquise sobre o assunto. Eu tenho a minha percepção sobre o assunto, e pode ser bom pra mim, mas pode não ser bom para a outra pessoa, por isso apenas sugiro que a pessoa leia e tire suas melhores conclusões.

Mas o foco deste texto é outro:  os palpites das gestantes!

Pois é, pra quem está gestante, já pensou a quantidade de palpites que você já falou para a sua amiga que ainda não tem filhos?

  • Mas você ainda não engravidou por que?
  • Não adianta se planejar, engravida na hora que Deus quer.
  • Você usa DIU? Ele também falha.
  • Besteira essa coisa que querer ter a vida planejada antes de engravidar.
  • Se você esperar a hora certa, nunca vai ter.
  • Cuidado, você já está ficando velha.
  • Desse jeito vai parece avó e não mãe do seu filho.
  • Não precisa esperar, você pode fazer tudo o que você está planejando com um filho.
  • É melhor ter logo esse filho.
  • Nossos filhos podem crescer juntos…
  • E tantos outros palpites e conselhos.

Aí eu te faço uma pergunta: Você gosta quando dão palpite na sua gestação ou criação dos seus filhos? Se a resposta for NÃO, por que você acha que a outra pessoa vai gostar de ouvir palpites sobre o momento ideal da concepção do filho dela?

Quando eu quis ser mãe

Li tantos relatos que a mulher quando engravida vira praticamente um item de domínio público: todo mundo acha que tem direito de tocar, de falar, de dar palpite… Então pensem antes de dar palpites sobre o momento que uma mulher deve gerar um filho, ela já começa a sofrer com os palpites mais cedo.

Já pensou que estes comentários podem gerar sofrimento e pressão em quem está ouvindo? E se a pessoa está com dificuldades pra engravidar? Se o casamento não está bom? Se a família está endividada? Pode estar acontecendo tanta coisa na vida desta família, essa mulher pode até estar querendo muito ser mãe, mas só ela sabe como está a vida dela e se é ou não um bom momento para engravidar.

Decidi que quero ser mãe! E agora?

Então vamos todos tentar praticar a empatia: Vamos nos colocar no lugar do outro e evitar fazer as coisas que não gostaríamos que fizessem conosco. Eu peço encarecidamente, por mais que seja sua amiga, que você tenha sonhado em dividir a sua gestação junto com ela, não deseje a gravidez dela se este não é o momento que ela escolheu. Respeite o momento de cada mulher, assim como você quer que o seu seja respeitado. Se ela tem metas, planos e objetivos a serem alcançados, torça para que ela cumpra, alcance e realize.  Por mais que uma gravidez possa trazer alegria, desejar uma gravidez no meio do caminho, não é o mesmo que desejar felicidade!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *