O papel da Doula na Gestação e no parto

Doula, mulher que serve!


Eu digo que as minhas doulas foram dois anjinhos que Deus colocou na Terra para nos acompanhar na preparação e no parto da Letícia!
Elas realmente foram mulheres que nos “serviram”. Nos cercaram de informações, sanavam as nossas dúvidas. E estavam sempre dispostas a nos servir! Fosse com uma visita, uma orientação, ou nos tranquilizando.
Contratamos as doulas no começo da gestação, e isso foi muito bom por dois grandes motivos: elas nos cercaram de informações e deu tempo de estabelecermos um vínculo, o que me deixou mais à vontade durante o trabalho de parto.
O apoio físico e emocional que elas me deram foi fundamental para eu conseguir passar por todo o pós parto! E as visitas do pós parto foram tão importantes quanto o acompanhamento durante o parto.
De vez em quando eu ainda envio mensagens para perguntar alguma coisa do meu parto para elas… Esses dias estava sem saber como foi a expulsão da placenta, e lá vai eu perguntar… hahaha
O dia que chegamos em casa com a Letícia, estávamos nos preparando para dar o primeiro banho, quando a doula avisou que estava indo nos visitar e disse que daria o banho. Acho que isso salvou a história dos banhos da Letícia. Havíamos comprado até uma almofada de banho para facilitar o processo, mas depois que a vimos dar o banho, vi que seria mais fácil do que eu imaginava.


Doula não é só sobre parto, é sobre apoio, sobre amor!

Não lembro em qual situação eu tive acesso a informação da existência da Doula, mas sei que o dia em que eu fiquei sabendo que tinha uma pessoa que poderia me acompanhar durante a gestação e o parto, eu decidi que queria uma para me acompanhar!
Até frequentei uma roda de gestante promovida por uma doula antes de começar a tentar engravidar.
Foi uma roda bem interessante, com diálogo aberto, acolhedor e espaço para conversas sobre medos e dúvidas em relação a gestação e ao parto.
Eu achava que o papel da doula se resumia ao parto, mas não! Ela faz todo o acompanhamento da sua gestação, te dá um apoio físico e emocional, antes, durante e depois do parto.
Durante a gestação algumas mulheres ficam mais sensíveis e situações simples do dia a dia podem parecer bem complexas durante uma gestação.
E uma gestação calma e tranquila é o que toda gestante precisa né?
Eu tive uma gestação muito tranquila e sempre estudei muito sobre a gestação, parto e sobre os cuidados com o bebê, então acho que dei pouco trabalho para a as minhas doulas … Pelo menos no quesito informação….hahaha
Mas nos últimos dias da gestação ter uma doula foi fundamental, por mais que você saiba a teoria, a fisiologia do parto, na hora H, as dores você não sabe se são cólicas, pródromos, ou trabalho de parto ativo, as dúvidas sobre tampão, o que é o que não é. E você recorre a quem? A doula! Aquela mensagem de “Bom dia! Como passaram a noite?”, “Vocês estão bem?”. Isso tudo faz muita diferença.


“SE DOULA FOSSE REMÉDIO, SERIA ANTIÉTICO NÃO RECEITAR”

Elas fizeram também o Chá de Bençãos, um ritual, que não tem cunho religioso, que pode ser realizado a partir da 37ª semana, que é quando o bebê já não é mais considerado pré-maturo.
É uma forma amorosa de dizer ao bebê que ele pode vir, que já está tudo preparado para a sua chegada.
Ele não tem uma estrutura fixa.
O meu chá de bençãos foi feito no mesmo dia em que eu completava a 37 semanas de gestação. Convidamos a família mais próxima, aos mais distantes, pedi que emanassem pensamentos positivos e boas vibrações para mim e para a Letícia.
Passamos uma tarde agradável, com direito a pintura da mandala na barriga, com as cores que eu gosto, envolvemos a nossa sobrinha na pintura, fizemos um café da tarde gostoso e finalizamos com um escalda pés e os presentes depositando uma flor aos meus pés e cada um desejando o que havia de mais puro e profundo para nós.


Começamos pela bisavó da Letícia, que era a mais idosa, e terminamos com a prima da Lelê, que era a única criança presente.
Acendemos algumas velas, relaxei, meditei, visualizei o meu parto acontecendo da forma mais linda, pura e perfeita.

Ai final a doula fez uma oração maravilhosa:

“Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo.

Eu liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim.

Que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurram o tempo todo em seus ouvidos.

Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar.

Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.

Agradeço aos meus avós e antepassados, que se reuniram para que hoje eu respire a vida.

Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, consciente de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento.

Eu os honro, os amo e os reconheço inocentes.

Eu me desnudo diante de seus olhos.

Por isso, eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência, que caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minhas únicas responsabilidades.

Eu renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros.

Aprendendo por meio e somente por meio do AMOR, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar, mesmo que alguém possa não me entender.

Eu entendo a mim mesmo, porque só eu vivi e experimentei minha história.

Porque me conheço, sei quem sou, o que sinto, o que faço e por quê faço.

Eu me respeito e me aprovo.

Eu honro a Divindade em mim e em você.

Somos livres!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *