Como ler para bebês

Na minha busca pela maternidade perfeita eu planejei ler para a minha filha todos os dias.

Comecei criando expectativas lá na gestação!

Li diversos estudos do benefício da leitura para o bebê desde o ventre, e lá fui eu!

Comprei um livro que eu sabia que iria gostar da leitura, para ser mais fácil, já que o hábito da leitura não estava consolidado no meu cotidiano.

A realidade chegou antes mesmo dela nascer! Eu fiquei tão empolgada com a leitura, que o objetivo de ler em voz alta foi para o beleléu no primeiro capítulo!

Mas tudo bem, se eu formasse o hábito em mim, já seria meio caminho andado!

A criança nasceu! E quem disse que eu conseguia ler para ela? Eu estava preocupada com a nossa sobrevivência! A formação do hábito da leitura de nada serviria se não conseguíssemos passar desta fase, não é mesmo?

Então, passaram-se os meses e nós sobrevivemos!

Quando ela tinha 3 meses ela ganhou um livrinho de banho, aí me toquei que já estava passando da hora de começar a nossa leitura!

Mas… Eu o lia em qualquer lugar, menos no banho.

Sempre ouvi as mães reclamando das crianças que demoram para sair do banho, que querem brincar, que fazem birra para sair…. E tinha também a lembrança da infância ouvindo: banheiro é para tomar banho!

Preferi não arriscar e optei não levar nada que não fosse usado para o banho em si!

Nisso ela lambia, mordia, foleava e disputava o livro com a Maby (nossa cachorrinha).

Mas eu sabia que isso não era suficiente. A maternidade estava me consumindo em todos os aspectos, então resolvi comprar a coleção de livros: Anne de Green Gables – Lucy Maud Montgomery. Eu assisti algumas temporadas na TV e gostei do enredo, então sabia que seria bom! Comprei a coleção completa.

Pode parecer um livro um pouco complexo para um bebê, mas eu lia, simplificava para ela e tínhamos o nosso momento de leitura.

Aos poucos foi se tornando uma leitura prazerosa para mim e para ela. Com o tempo percebi que eu estava me satisfazendo com a leitura. E porque não né? Mãe também tem sentimentos.

E ela também gostava! Eu lia enquanto amamentava, e quando ela queria mamar, ela pegava o livro e me entregava!

E assim foi o nosso início!

Primeiro trazendo o hábito da leitura para a mãe, para depois iniciar com a filha.

Aos poucos fomos apresentando livros coloridos, com imagens, desenhos e cores. Não se iluda achando que você vai ler um livro e o bebê vai prestar atenção do início ao fim. Pode ser que ele nem preste atenção. Que você comece a ler e ele saia andando ou engatinhando pela sala. Mas não desista! Persista! É a formação de um hábito, e como toda a formação de hábito, leva tempo. E se ele quiser parar a leitura para folear as páginas, deixe que ele pare, deixe que ele explore. Afinal, o livro é uma fonte inesgotável de aprendizado.

E aí? Como foi? Como está sendo? Ou como pretende iniciar a leitura?

Vou deixar aqui duas sugestões de livros que geralmente agradam os bebês: Uma lagarta muito comilona e Arca de Noé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *