Até quando amamentar dói?

Esta é uma pergunta que eu me fiz por muito tempo.

No início da amamentação eu tive fissura na mama. Peito sangrando, peito doendo, peito rachado, peito machucado. Só não tinha peito inteiro. Chorei de dor, acho até que conheci o céu, mas continuei amamentando. Eu conhecia os benefícios do aleitamento materno. A sensação era que a alma estava saindo do corpo de tanta dor que eu sentia. Tomei sol, fiz sessões de laser, passei leite materno e qualquer outra coisa que alguém tenha me dito para fazer dizendo que melhoraria. (Exceto medicação. Medicação apenas com prescrição médica).

E melhorou! 15 dias depois estávamos nos dando bem com a amamentação. Sem dor, sem machucado e a amamentação passou a ter um novo significado. A lactação é extremamente importante para o bebê, mas é importante que a mãe se sinta bem também.

Era muito cansativo ter uma bebê pendurada no peito o tempo todo, mas, para mim, os benefícios do aleitamento materno eram infinitamente maiores do que o meu cansaço. E assim seguimos.

Estávamos em uma maravilhosa Lua de Leite! Amamentava em pé, sentada, deitada, quatro apoios, no banho, no vaso… Sim, em todas as posições possíveis. Sem rede de apoio e com aleitamento em livre demanda a gente faz o que é possível.

Aqui eu falo ainda mais sobre amamentação,
inclusive no como amamentei no hospital

E quando eu menos esperava: uma mastite!
Mastite? Sério? Como assim? Eu amamento esta criança já tem um ano!
É, eu tive uma mastite após um ano amamentando. Percebi logo no início, então não tive maiores complicações. Fui medicada e tudo resolvido.
Voltamos para a nossa fase boa da amamentação.

E agora, a criança com quase dois anos, o que me acontece? Ducto entupido!

É, eu realmente não sei responder até quando amamentar dói.
Esta é só a saga fisiológica.

A dor emocional, o cansaço, o doar, doar e doar, depende muito de cada binômio.

Neste aspecto eu tive uma boa experiência. Os meus dias de cansaço não foram suficientes para me fazer desistir.

Mas, se você é mãe, amamenta, e para você está muito difícil, coloque na balança. Principalmente se for uma amamentação prolongada.
O leite materno sempre vai ser importante para o bebê. Ele não é só alimento. Ele também é calma, aconchego, conexão.
Mas não é só com o leite materno que conseguimos isso. O olho no olho, calma, acalanto, pode ser construído de diversas formas.

Só vocês dois podem decidir a melhor hora de parar.

Eu ainda não penso em desmame, enquanto estiver bom para as duas, vamos seguindo. Mas se chegar o dia em que não esteja bom para mim, eu vou estudar a melhor forma de parar.

Você amamenta ou amentou? Para você doeu? Conte aqui sua experiência!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.