Alimentação antes da gestação

Pra quem está chegando agora, o objetivo da página é registrar informações sobre a maternidade. Ainda não sou mãe, nem estou tentando engravidar, mas quero me cercar de informações antes de entrar neste mundo da maternidade.

E hoje a minha busca foi pela alimentação. Quando decidi que queria ser mãe (Acompanhe aqui: Decidi que quero ser mãe! E agora?comecei algumas mudanças de hábitos em relação a minha alimentação, emagreci um pouco, comecei atividade física (mas surgiu uma obra no meio do caminho e dei uma pausa), pois percebi que se eu queria engravidar em um futuro não tão distante, afinal, 2021 já está bem aí, eu tinha que me adaptar e me preparar.

O mundo está mudando, e está mudando muito rápido. Abrimos mais embalagens para comer do que cortamos ou descascamos os alimentos, e decidi que quero ser uma pessoa mais saudável e natural, e ter filhos mais saudáveis e naturais (coloquei no plural porque acho bonitinho, mas por enquanto quero só um mesmo).

E nesta busca por informações sobre a maternidade e alimentação, vi que a maioria das mulheres fazem a suplementação de vitaminas, ácido fólico e algumas outros nutrientes. Mas, se tem na natureza e disponível na feira ou no mercado, penso que é melhor comprar lá do que na farmácia.

————ÔMEGA 3————

Um dos itens que fazem parte do cardápio de receitas de suplementação é o ômega 3, que auxilia na produção de prostaglandinas responsáveis pelo controle da pressão sanguínea e da coagulação. Atua no desenvolvimento neurológico e visual do feto e atua na precaução de pré-eclâmpsia e parto prematuro. Vou citar alguns dos seus benefícios – lembrando que estas informações foram feitas a partir de buscas em sites diversos, portanto, qualquer ingestão de alimentos ou suplementação deverá ser conversada com seu médico ou nutricionista, que poderão orientá-la quanto ao melhor método para você!

1. Regulagem de algumas atividades fisiológicas

Esses compostos podem colaborar na função de diversos processos fisiológicos, como na coagulação do sangue, funcionamento dos rins, regulagem da pressão sanguínea, produção de outros hormônios e melhor funcionamento do sistema gastrointestinal.

2. Prevenção de doenças cardíacas

A produção das prostaglandinas também é muito importante para proteger seu corpo contra doenças cardíacas. Ao regular a quantidade destes hormônios, os ácidos graxos do ômega 3 trabalham como um anti-inflamatório protegendo não só o coração, mas também outros órgãos vitais.

3. Equilíbrio das mudanças de humor

Outro benefício do ômega 3 na gravidez é o de melhorar as tão temidas mudanças de humor.

Especialistas afirmam que a dose certa de ômega 3 pode ajudar a prevenir e tratar alguns sintomas das alterações de humor durante a gravidez, como maior irritabilidade e depressão.

4. Prevenção de diversas doenças

O consumo regular de ômega 3 pode ainda ajudar a futura mamãe a evitar um grande número de doenças, principalmente as relacionadas a inflamação e ação dos radicais livres.

Artrite, doenças gastrointestinais e até o câncer podem ser evitados graças às ações anti-inflamatórias dos ácidos graxos da família ômega 3.

5. Melhor desenvolvimento do bebê

O ômega 3 já foi associado em diversas pesquisas ao desenvolvimento neurológico e óptico do bebê. Os ácidos graxos EPA e DHA, ambos da família do ômega 3, foram relacionados com o desenvolvimento saudável das funções cognitivas e visuais do bebê desde a barriga até os 6 meses de idade.

6. Impacto positivo na saúde da gestante

Outro benefício que os ácidos graxos EPA e DHA podem proporcionar na gestante é a prevenção do parto prematuro e de alguns problemas durante o parto.

Além disso, diminui os riscos de epilepsia na gestante e pode auxiliar no ganho de peso saudável do bebê. A deficiência de ômega 3 na gravidez pode gerar depressão e alterações de humor pós-parto.

Alimentos ricos em ômega 3: peixes de água fria, sardinha, arenque, salmão, atum, sementes de chia e linhaça, nozes.

————VITAMINA E————

Na minha busca encontrei uma informação divina: Vitamina E para evitar estrias. Quem quer ficar com um mapa hidrográfico na barriga depois que o bebe nascer? Eu não, obrigada!

A vitamina E, chamada tecnicamente de tocoferol, é uma das vitaminas lipossolúveis (que dependem de gordura para absorção) necessárias para o bom funcionamento do organismo. Essa vitamina possui potente ação antioxidante, conferindo proteção à membrana que reveste as células do corpo e também para as lipoproteínas, que são responsáveis por transportar o colesterol no sangue, dessa forma previne a oxidação causada pelos radicais livres, que podem levar a formação das placas de ateroma, que obstruem a passagem de sangue nas artérias.

Benefícios da vitamina E:

  • Pode ajudar na melhora da fertilidade;
  • Pode contribuir para o controle do LDL (considerado o “mau” colesterol quando elevado);
  • Tem propriedade anti-inflamatória;
  • Pode melhorar a capacidade cognitiva;
  • Contribui para proteção do cérebro;
  • Rejuvenescimento e cicatrização da pele;
  • Destaca-se o efeito antioxidante por ser considerado um dos melhores para controle dos radicais livres.

Alimentos ricos em vitamina E: brócolis, espinafre, couve, tomates, pimentões, aspargos, azeite de dendê, amendoim, semente de girassol, amêndoas, abacate.

Agora a dica pra vida: Combinar alimentos ricos em ômega 3, com comidas ricas em vitamina E é uma boa ideia, isto porque estes ácidos graxos oxidam com muita facilidade, perdendo as suas propriedades.

Então, para aproveitar todos os nutrientes do ômega 3, é só combinar o peixe com o azeite de dendê, resultado: moqueca baiana!

27/10/2016. Crédito: Jhonatan Vieira/Esp.CB/D.A Press. Brasil. Brasília – DF. Gastronomia. Moqueca de peixe e frutos do mar com farofa no restaurante Manzuá, no Lago Sul.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *